CNJ Serviço: como acionar o Conselho Nacional de Justiça?

In Notícias do Judiciário On

Criado em 2004, com a Emenda Constitucional n. 45, o Conselho Nacional de Justiça passou a ser responsável pelo controle administrativo e financeiro do Poder Judiciário e também pela condução de processos disciplinares. Qualquer cidadão pode acionar o CNJ, desde que a reclamação esteja relacionada à competência institucional do órgão – conforme o art. 3-B, §4º e §5º da Constituição Federal, bem como o art. 4º e 8º do Regimento Interno do Conselho. Os processos podem ser analisados por três órgãos julgadores, a depender do teor do requerimento: Presidência, Corregedoria Nacional de Justiça e Plenário.

À Presidência, cabe analisar dois tipos de processos: Arguição de Suspeição e de Impedimento, utilizada em casos de suspeição e impedimento tão somente de membros do CNJ, e Reclamação para Garantia das Decisões, usada para assegurar o cumprimento de decisões ou atos exclusivamente do Conselho. A Presidência também pode praticar, em caso de urgência, ato de competência do Plenário, submetendo-o ao referendo deste na primeira sessão que se seguir (inciso XXIV do art. 6° do RICNJ).

Já a Corregedoria tem competência para analisar as seguintes classes processuais: Reclamação Disciplinar, Representação por Excesso de Prazo, Sindicância e Pedido de Providência (PP). O Plenário do CNJ é órgão julgador que examina o maior número de classes processuais: Pedido de Providências; Consulta; Parecer de Mérito sobre Anteprojeto de Lei; Revisão Disciplinar; e Procedimento de Controle Administrativo. O PP é a única classe que pode ser distribuída tanto para a Corregedoria quanto para os conselheiros, a depender da matéria trazida nos autos.

Trâmite

Para registrar uma reclamação no CNJ, o interessado não precisa da intermediação de um advogado. Basta que apresente uma petição escrita e assinada, além de documentos que comprovem sua identificação e endereço. A petição é justamente o pedido para que determinada situação seja examinada. Nesse requerimento, a pessoa deve detalhar o seu problema e dizer qual providência espera que seja tomada pelo CNJ, além de encaminhar os documentos que julgar necessários para comprovar o alegado.

Há duas formas de encaminhar uma petição, conforme determina a Portaria CNJ n. 52: em papel ou por meio eletrônico.

Para fazê-la eletronicamente é preciso ter o certificado digital de acesso ao Processo Judicial Eletrônico (PJe). Magistrados, advogados, tribunais, órgãos e instituições públicas e pessoas jurídicas em geral devem obrigatoriamente fazer o registro por meio eletrônico.

Já os requerimentos em papel poderão ser enviados pelos Correios para o Protocolo do CNJ (Endereço: SEPN 514, lote 9, Bloco D, Brasília/DF CEP: 70760-544) ou entregues pessoalmente pelo interessado. O documento deve ser assinado e conter, obrigatoriamente, cópias do documento de identidade, do CPF e do comprovante ou declaração de residência do requerente, salvo impossibilidade expressamente justificada no requerimento inicial (conforme Portaria CNJ n. 174). Quando é protocolada fisicamente, a denúncia é transformada em digital para passar a tramitar no PJe.

Fonte: Agência  CNJ de notícias.

Informação em seu e-mail

Assine nossa newsletter e receba, gratuitamente, nossas atualizações!

You may also read!

Empresa intermediária não tem de compor polo passivo em ação de usuário contra operadora de plano de saúde coletivo

Para a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o juiz não está autorizado a determinar de ofício

Leia mais...

Afastada necessidade de filiação a associação para execução individual em mandado de segurança coletivo

A ausência do nome do interessado na relação de filiados apresentada pela associação ao ingressar com mandado de segurança

Leia mais...

limite de permanência em cadastro negativo deve ser contado do vencimento da dívida

Como reflexo dos princípios fixados pelo Código de Defesa do Consumidor e das funções típicas dos bancos de dados

Leia mais...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu