Presidente do Chile é recebido no STF

In Notícias do Judiciário On
- Updated

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, recebeu nesta sexta-feira (27) o presidente do Chile, Sebastián Piñera, que está em visita oficial ao Brasil depois de ser empossado no mês passado. Este é o segundo mandato de Piñera, que também presidiu o país de 2010 a 2014. Os ministros Dias Toffoli e Edson Fachin também participaram da recepção a Piñera, assim como o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia.

Um dos principais assuntos do encontro foi a TV Justiça, gerida pelo Supremo. Piñera disse que vê algumas sessões do STF ao vivo no Chile e ressaltou o fato de que os brasileiros conhecem todos os seus ministros e debatem as principais decisões da Corte. A ministra Cármen Lúcia então respondeu que a cultura jurídica do Brasil não permitiria que os votos dos ministros e as discussões não fossem públicos. Ela lembrou que alguns tribunais constitucionais têm um porta-voz que somente informa as decisões tomadas, sem mais detalhes, o que seria impensável no Brasil.

O presidente chileno quis saber detalhes sobre o funcionamento do Poder Judiciário brasileiro e a ministra Cármen Lúcia explicou a estrutura da Justiça brasileira, o papel de cada um dos seus ramos e destacou a importância do Ministério Público. Ela falou sobre a organização do Congresso Nacional e a forma de elaboração das leis e das emendas à Constituição Federal. Também explicou como funciona o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e quais são suas atribuições.

No Chile, há um Tribunal Constitucional e uma Corte Suprema, que são independentes. A Corte Suprema é composta de Salas (o que equivale às Turmas do STF), especializadas em julgar ações trabalhistas, administrativas e penais. Piñera quis saber se as Turmas do STF tinham atribuições distintas e recebeu então a informação de que os dois colegiados julgam os mesmos tipos de ações e recursos. Bem-humorado, o presidente chileno disse ao final do encontro que estava constrangido em tomar o tempo dos ministros depois de receber informações sobre o volume de processos que julgam. O STF julgou mais de 120 mil processos em 2017 e ainda tem um acervo em torno de 45 mil.

A presidente do STF lembrou da importância dos programas de cooperação entre o Supremo e países do Mercosul, como o “Teixeira de Freitas”, destinado à recepção de estudantes estrangeiros do curso de direito, com o objetivo de desenvolver linhas de cooperação no campo da formação jurídica e da pesquisa em direito. Os estudantes estrangeiros passam dois meses no STF. Há ainda o “Programa de Cooperação e Intercâmbio dos Magistrados e Servidores Judiciais”, firmado durante a sexta edição do Encontro das Cortes Supremas do Mercosul, realizada em 2008, na sede do STF.

Fonte: STF.

Imagem: Reprodução/Telesurtv.net (imagem principal); STF (imagem da matéria).

Informação em seu e-mail

Assine nossa newsletter e receba, gratuitamente, nossas atualizações!

You may also read!

Empresa intermediária não tem de compor polo passivo em ação de usuário contra operadora de plano de saúde coletivo

Para a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o juiz não está autorizado a determinar de ofício

Leia mais...

Afastada necessidade de filiação a associação para execução individual em mandado de segurança coletivo

A ausência do nome do interessado na relação de filiados apresentada pela associação ao ingressar com mandado de segurança

Leia mais...

limite de permanência em cadastro negativo deve ser contado do vencimento da dívida

Como reflexo dos princípios fixados pelo Código de Defesa do Consumidor e das funções típicas dos bancos de dados

Leia mais...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu